Centro Interpretativo Memórias da Misericórdia de Braga

Palácio do Raio

Contactos:


Palácio do Raio

Rua do Raio

4700-920

Braga

+351 253 206 520

HORÁRIO

Ter - Sáb: 10:00 - 13:00 | 14:30 - 18:30

Arquitectura Barroca, um dos principais locais a visitar da cidade de Braga. Com mais de 250 anos

Palacete denominado Palácio do Raio, ou Casa do Mexicano como também é conhecido, iniciou em 2015 um novo capítulo da sua história, abrindo-se ao visitante como Centro Interpretativo das Memórias da Misericórdia de Braga.

Construído em 1754-55, por encomenda de João Duarte de Faria, poderoso comerciante de Braga, e projecto do arquitecto André Soares, é um dos mais notáveis edifícios de arquitectura civil da cidade de Braga, em estilo barroco joanino.

O palácio foi vendido em 1853, por José Maria Duarte Peixoto, a Miguel José Raio, visconde de São Lázaro, ficando conhecido como Palácio do Raio.

Miguel José Raio era um capitalista brasileiro, nascido em Braga, na rua da Cruz de Pedra, em 10 de Maio de 1814 e falecido em 14 de Agosto de 1875.

O novo proprietário, em 1863, abriu a rua em frente do palácio, para permitir uma melhor visão da sua casa e poder construir duas habitações para as suas filhas.

Em 1882 os herdeiros de Miguel José Raio venderam o palácio ao Banco do Minho que, por sua vez, a revendeu, no ano a seguir, à Santa Casa da Misericórdia que nela instalou alguns serviços do Hospital de S. Marcos.

Durante várias décadas esteve em regime de aluguer, aos serviços hospitalares do Ministério da Saúde , em 2012, voltou à utilização da Misericórdia que o reabilitou integralmente, num projecto co-financiado pelo ON.2 – O Novo Norte.

Está classificado como Imóvel de Interesse Público desde 1956.

No Centro Interpretativo poderá contemplar a história da multissecular da Santa Casa de Braga, com grupos temáticos;

A visita começa com a evocação dos maiores símbolos da arquitectura bracarense: André Soares e Carlos Amarante. O visitante é convidado a conhecer a história da Irmandade da Misericórdia de Braga e do Hospital de São Marcos, fundado em 1508.

Arte sacra, pintura, escultura , cerâmica, ourivesaria, artigos hospitalares e botica e documentação arquivística, o acervo da exposição permanente é apresentado de forma interactiva e dinâmica do ambiente, vídeos e outros elementos que permitem também contemplar toda a beleza arquitectónica e artística do edifício.

Destaca-se, também, o património imaterial da Santa Casa relacionado com lanternas e bandeiras processionais, o farricoco e os fogaréus remetem o visitante para a procissão do Senhor ‘Ecce Homo’, organizada desde tempos antigos pela Misericórdia.

Actividades

Azulejo

Diretora: Manuela Machado